O Projeto PROFILES

O projeto PROFILES promove IBSE (Inquiry-Based Science Education) através do aumento da auto-eficácia dos professores de ciências, e, ao fazê-lo, auxilia uma melhor compreensão dos propósitos emergentes para o ensino das ciências nas escolas e da importância da rede de intervenientes. A inovação da proposta está na utilização de materiais didáticos existentes para o ensino da ciência, apoiando os professores através de um inspirado programa de formação longitudinal que reflete a opinião dos intervenientes e as suas necessidades, enquanto simultaneamente promove uma escola baseada em IBSE, intervenção relacionada com a formação para promover a aprendizagem através da criatividade, resolução de problemas científicos e procedimentos de decisão sócio-científica.

Operacionalização

A avaliação do sucesso do projeto é efetuada:

a) determinando a auto-eficácia dos professores de ciências nas abordagens educativas inovadoras em ciência permitindo aos alunos a aquisição de competências para a vida;

b) nas atitudes dos alunos perante este ensino mais baseado em contexto, centrado no aluno e potenciado pelo IBSE.

A disseminação de abordagens, reações e reflexões constituem um objetivo chave do projeto.

Inicialmente o PROFILES envolve o desenvolvimento de professores líderes em quatro frentes (professor como aprendiz, como professor, como profissional reflexivo e como líder) consolidando o seu domínio na abordagem baseada no contexto e incorporando investigação empírica, (avaliando) métodos de avaliação e a interação da rede de intervenientes. O projeto potencia a sua abordagem de disseminação com os professores líderes envolvendo-os no processo de formação de novos professores e iniciando workshops nacionais para intervenientes chave a nível nacional.

O projeto pretende potenciar uma abordagem de inquérito aberto (open inquiry approaches). O PROFILES dá muita atenção à motivação dos alunos para a aprendizagem de ciência quer em termos de motivação intrínseca (relevância, significado, como considerada pelos alunos) e motivação extrínseca (incentivo dos professores e reforço) e pretende tornar o ensino da ciência nas escolas mais significativo ao prestar mais atenção às diferenças culturais especialmente de género.